Como lidar melhor com o isolamento social?

O isolamento social é uma necessidade e muitos de nós serão postos à prova por ele. O quanto sabemos ficar sozinhos? Ou com aqueles que amamos, mas que o trabalho e a correria do dia a dia nos impedem de conviver mais? Até que ponto sabemos lidar com o medo, a dificuldade e a falta? Será que passaremos por essa fase ilesos?

Por Sergio Bastos Jr

Foto de Carolina Soares

O isolamento necessário para tentar estancar o quanto antes a pandemia pelo novo Coronavírus está trazendo à tona nossos maiores medos. Como vai ficar o trabalho, a questão financeira, nossas relações sociais e familiares são perguntas que fazem parte desse imaginário. As principais consequências são um aumento de ansiedade e da depressão, duas doenças consideradas os males da atualidade. Como lidar com esse quadro? Separamos algumas explicações e algumas dicas que podem ajudar.

Um pouco de tudo é quase nada

De uma hora para outra, literalmente, tivemos que mudar nossas vidas. Muita gente está com a vida de pernas para o ar. Há quem possa trabalhar de casa, quem já vivesse um dia a dia mais caseiro, mas uma parte imensa da nossa sociedade tinha a mesma rotina: sair todos os dias para trabalhar, frequentar academia, fazer happy hour ao final do dia, ir a bares e restaurantes no final de semana e ansiar pela segunda-feira.

A necessidade de ficar em casa full time, devido à pandemia do Convid-19 foi um corte brusco nessa rotina. Que, diga-se, não era das melhores, já que estamos vivendo, há décadas, epidemias rotineiras de doenças como depressão e ansiedade. Percebemos, com esse corte, que vivíamos um pouco de tudo e, na verdade, não tínhamos nada. Porque a mudança simplesmente nos tirou o chão. E agora?

O medo nos adoece, essa é a maior verdade

Talvez nossa maior ameaça, depois do próprio vírus, seja o medo, já que ele provoca reações físicas que diminuem a nossa imunidade e nos deixam em constante estado de alerta, ou seja, em estresse. A primeira dica, então, seria rever essa questão do medo. Sabemos que há muita incerteza no ar, que muita gente está perdendo clientes, empregos, mercado. Fácil falar em não ter medo, difícil é exercitar. Mesmo assim, é muito necessário, já que o medo também nos impede de achar soluções e agir de forma assertiva.

Ansiedade e depressão, fuja delas

A Depressão é uma doença silenciosa, geralmente associado a um estado de tristeza constante. Mas o que muita gente não sabe, é que a Depressão pode aparecer como uma apatia, uma introversão, dificuldades com o sono, com a alimentação, com as decisões, mesmo as mais corriqueiras, que temos que tomar todos os dias. Alguma semelhança com o que podemos estar sentindo no “confinamento”?

Já a Ansiedade, enquanto distúrbio, revela uma preocupação excessiva com o futuro e, também, diante de situações corriqueiras da vida, das mais simples até aquelas que não podemos controlar. E se alguém que amo ficar doente? E se eu não puder mais sair para comprar alimentos? E se eu não conseguir me recolocar no mercado de trabalho? De situações que sabemos, no íntimo, que não vão acontecer, às que jamais podemos prever, tudo acaba sendo motivo de sobressaltos, alerta, coração descompassado, peito apertado e muito desconforto, inclusive físico.

Dicas para lidar melhor com o isolamento social

Respire, mantenha uma rotina, faça exercícios sempre que possível, converse com as pessoas que ama, mesmo à distância. Tenha projetos/planos/objetivos, mesmo que eles sejam para depois que a pandemia passar. Não espere ter certezas, se eles darão certo ou não, ou se vão ser aceitos, apenas faça o que for possível no momento.

Nosso dia a dia é pautado no calendário. Quantas vezes sentimos um frio na barriga porque algo “está chegando”. E a única forma de não se deixar assolar por ele é viver o hoje. Então, chegou o momento de esquecer um pouco do calendário, sábado e domingo são dias como qualquer outro, já que estaremos em casa. Então, misturar trabalho e momentos de lazer todos os dias pode ser a melhor forma de se manter ativo, mas calmo.

Viva o hoje. É agora que a vida acontece. Do amanhã, nada sabemos, do ontem, só podemos trazer aprendizados. É preciso ser grato por estar vivo, por poder contribuir com esse momento de tantas transformações. E não esqueça: se precisar de ajuda, nós estamos aqui! Você não precisa passar por isso sozinho! Entre em contato pelo telefone: (11) 99148-9063.

Sobre Sérgio Bastos Jr

Nascido em Diamantina e criado em Montes Claros, também é formado pelas Faculdades Integradas Pítagoras e possui curso de aperfeiçoamento em Terapia Manual e especialização em Microfisoterapia, com os próprios criadores da técnica, na França. É também formado em Decodage Biologique por Emanuel Corbel, na Bélgica, e Radiestesia Genética, Universo, homem e animal por Josie Kromer, além de PNS, ambos na França. Hoje, Sérgio desenvolve um trabalho em Saúde Integrativa, junto com sua parceira e sócia Frésia Sa, na Biointegral Saúde, em São Paulo.

Sobre a Biointegral Saúde

A Biointegral Saúde é uma clínica especializada no tratamento de memórias traumáticas e crenças limitantes, com foco na saúde integrativa e em tratamentos personalizados, que visem eliminar as causas primárias de dores e doenças crônicas. Utilizando técnicas como a Microfisioterapia, o PSYCH-K® e as Barras de Access, entre outros, os fisioterapeutas Frésia Sa e Sergio Bastos Jr buscam a integridade dos potenciais de seus pacientes. Entre aqueles que procuram por mais qualidade de vida e por um dia a dia mais pleno e saudável estão esportistas, influenciadores digitais, celebridades e outras pessoas que são atingidas diariamente por estresse, auto cobrança e síndromes e que retornam ao controle da própria vida e atingem estágios mais amplos da sua saúde física e emocional com o trabalho da Biointegral Saúde.

Mais informações:

Biointegral Saúde | www.biointegralsaude.com.br | contato@biointegralsaude.com.br

error: Content is protected !!