Destaque

RESFRIADO X GRIPE: O QUE FAZER EM CASA CASO

Resfriados e gripes possuem quase os mesmos sintomas e podem confundir os papais na hora do tratamento

Os sintomas de gripes e resfriados são muito parecidos, o que pode dificultar que mamães e papais saibam exatamente o que está acontecendo com seu filho. Apesar de serem causadas por vírus e transmitidas via contato, principalmente no inverno, as doenças possuem particularidades em relação aos sintomas, ao tratamento e à gravidade que você precisa saber.

A gripe é causada pelo vírus influenza A e B, que sofre mutações sazonais. Já o resfriado é causado pelo rinovírus em 70% dos casos e possui mais de 100 tipos, o que torna praticamente inviável desenvolver uma vacina. Tanto a gripe quanto o resfriado são altamente contagiosos, podendo ser transmitidos por gotículas de saliva. A principal via de transmissão das duas doenças é manual. Se uma pessoa resfriada ou gripada espirra em um brinquedo que será tocado por uma segunda criança que levará as mãos à boca ou ao nariz, ela será contaminada. A aglomeração de pessoas e os ambientes mais fechados no inverno facilitam a contaminação.

Quanto aos sintomas, os resfriados afetam na maioria das vezes nariz, ouvido ou garganta e, nos pequenos, a obstrução parece mais problemática do que na verdade é. Os pequenos podem ter também febres. Para tratar, é preciso cuidar dos sintomas, diminuindo a coriza, descongestionando o nariz e aliviando a dor de garganta. Fora isso, é necessário ter paciência e esperar o vírus ir embora, o que geralmente ocorre após cinco ou seis dias.

No caso das gripes, o problema é um pouco mais sério: estima-se que, anualmente, 10% da população brasileira apresente um quadro de gripe e 1,5 milhões de pessoas morram por causa de complicações causadas por ela. As crianças são as mais suscetíveis e apresentam três vezes mais chances de pegar gripe. A doença é mais perigosa do que um resfriado, pois, quando não tratada, pode evoluir para doenças mais graves, como pneumonia e sinusite.

O quadro de gripe é intenso e apresenta febre alta, mal-estar e dor de cabeça; e sintomas respiratórios, como tosse seca e dor de garganta. Porém, nos pequeninos os sintomas são atípicos, muitas vezes podendo manifestar-se primeiro com diarreia e vômito e só depois por meio de problemas respiratórios. Isso acontece porque eles possuem menos tempo de exposição ao vírus e, consequentemente, baixa imunidade natural. É por essa razão que eles costumam adoecer quando ingressam na escolinha!

Além de ser mais perigosa, o tratamento da gripe também é mais demorado. O importante é iniciá-lo nas primeiras 48 horas após o contágio. Existem dois tipos de tratamento: o primeiro utiliza xaropes e antitérmicos para aliviar os sintomas; e o segundo é feito com medicamentos antivirais para combater o vírus Influenza.

O maior erro dos pais quando se trata dessas doenças é oferecer antibióticos por conta própria. Eles foram desenvolvidos para combater as bactérias e não funcionam contra infecções virais como a gripe e o resfriado. Além disso, o uso inadequado contribui para que o organismo crie resistência, e, quando o pequeno realmente necessitar, o efeito do antibiótico não será eficaz.

[H3]MEU FILHO ESTÁ RESFRIADO OU GRIPADO. O QUE FAZER?[H3]

Ao constatar os sintomas, leve o pequeno ao pediatra e siga as orientações dele. É normal que a criança perca o apetite, portanto não force para que ela coma. O ideal é mantê-la hidratada, com sucos, chás e bastante água. É importante também estimular o pequeno a assoar o nariz várias vezes ao dia e fazer a lavagem com soro fisiológico. Para isso, coloque 1 ou 2 gotas de solução de própolis alcoólica a 5% em 60ml de soro morno. Caso ele apresente febres, controle-as com banhos ou antitérmicos. A inalação também é uma ótima aliada no caso de gripes e resfriados, podendo ser feita de 3 a 4 vezes ao dia.

Além disso, é importante adquirir alguns hábitos que ajudarão no tratamento do pequeno. Confira:

– Limpe a casa com pano úmido e aspirador de pó diariamente;

– Troque a roupa de cama do pequeno duas vezes por semana;

– Se usar lençóis no carrinho de bebê, também é bom realizar a troca frequentemente;

– Retire tapetes, carpetes e bichos de pelúcia do quarto da criança, pois podem acumular poeira e dificultar ainda mais a desobstrução das vias nasais.

[H3]COMO PREVENIR[H3]

A proliferação de gripes e resfriados ocorre, sobretudo, no inverno, estação em que o ar está mais seco e poluído, tornando as vias respiratórias mais carregadas. Quando os pulmões recebem o ar de má qualidade, nosso organismo fica mais suscetível a infecções. Para as crianças, essa condição é ainda mais prejudicial.

Confira algumas dicas de como prevenir que as crianças se contaminem com gripes ou resfriados:

– A vacinação conta a gripe é considerada obrigatória para todos os pequenos, dos 6 meses até os 5 anos e é oferecida gratuitamente nos postos de saúde;

– Mantenha as crianças longe de pessoas doentes, que podem transmitir facilmente o vírus, inclusiva os amiguinhos da escola;

– Durante o inverno, evite levar o seu filho a lugares com aglomerações, como shoppings e buffets;

– Incentive as crianças a lavarem as mãos várias vezes ao dia, pois elas são a principal forma de contágio;

– Mantenha a casa sempre limpa para remover os agentes causadores e arejada para que o ar possa circular;

– Tenha cuidado ao usar umidificadores de ar e esteja atento para que o local não fique úmido demais, favorecendo a proliferação de fungos.

Cuidar da saúde dos pequenos é fundamental. Principalmente em épocas nas quais as temperaturas oscilam com frequência.

To Top