Variedades

Armazém da Prata inaugura segunda unidade física em Indaiatuba

Com mais de 100 consultoras ativas no Brasil projeto prevê outras três franquias na RMC até final de 2017

O Armazém da Prata inaugura, este mês, sua segunda unidade física no município de Indaiatuba (SP). Idealizado há 13 anos pela empresária Karina Negrão que, no início comprava e revendia acessórios para suas colegas de trabalho e amigas, o projeto foi tomando corpo ao longo dos anos, período em que Karina finalizou sua pós-graduação em Marketing e conseguiu investir em um curso de joalheria, e passou então a criar suas próprias peças, na época, em prata, motivo que inspirou o nome da marca. “Eu não tinha recursos financeiros para comprar ouro, então só fazia as peças em prata”, relembra.

Resultado de um trabalho de qualidade, já que desde 2012 vem recebendo muitos pedidos de franquia da marca, a empresária que abriu sua primeira unidade física ano passado, no Parque Mall, em Indaiatuba, inaugura, este mês, a segunda unidade, desta vez no Shopping Jaraguá, que também fica na cidade.

O projeto, em formato de quiosque, é feito todo em marcenaria e foi desenhado pela própria equipe, o que o torna um modelo de franquia bem acessível. Seu custo gira em torno de R$150 a R$ 200 mil, com retorno de investimento em 24 meses. “Já temos interessados, mas optamos por administrar as cinco primeiras unidades, entendermos as necessidades e particularidades dessa operação, para somente depois abrir para o mercado”, conta a empresária que prevê a inauguração de outras três unidades na Região Metropolitana de Campinas (RMC) até 2020.

HISTÓRIA
Como toda história de sucesso, tudo tem um começo. Com o Armazém da Prata não foi diferente. Enquanto Karina ainda era estudante, sua visão estratégica a levou a negociar com um professor a compra de seus desenhos. “De início ele não aceitou, mas acabou cedendo”, relembra. A etapa seguinte foi encontrar uma fundição que transformasse os desenhos em metal, o que levou a empresária a conhecer a fundo o mercado de fundição e lapidação.

A inspiração para criar suas próprias coleções nasceu depois de duas viagens: uma para a Itália, onde visitou diversos joalheiros e também a maior feira de joias do mundo, a Vicenza, além de Milão, onde esteve na Feira Milano (Macef); e a outra para Bijorhca, em Paris. “Fiz estas viagens sozinha, pois seria difícil encontrar alguém com paciência de pesquisar da forma como fiz. Eu observava tudo, até as marcas de roupa quando estive em Milão. No início minhas peças eram quase réplicas dos modelos da Europa, mas com o tempo foram ganhando meu DNA e hoje posso dizer que monto uma coleção com a maior facilidade do mundo. Recebo um lote de pedras e consigo visualizar tudo que ficará bom com elas”, comenta.

Vencer desafios sempre foi premissa na vida da empresária, que perdeu o pai aos 3 anos de idade, vítima de assassinato, e menos de um mês depois sofreu um assalto. Por conta disso, sua mãe decidiu viver em um condomínio fechado, mas diferente dos novos vizinhos, para a família, de origem mais simples, a opção por viver com mais segurança custou a mãe e aos três irmãos, algumas limitações, como estudar em colégio público e não poder acompanhar os amigos em passeios e viagens. “Na época minha mãe contava o dinheiro para nos sustentar e, talvez isso tenha despertado em mim, tão cedo essa vontade de vencer e driblar dificuldades. Aos 16 anos comecei a trabalhar, paguei minha faculdade, minhas duas especializações, meu curso de joalheria e todas as viagens que fiz”, relembra.

Mas os desafios continuaram. Por mais de uma vez suas peças foram copiadas, o que seria muito ruim, se não fosse o fato de fazer com que as novas coleções nascessem cada vez melhores. “Fico surpresa com a capacidade que adquirimos de inovar a cada novo desafio”, pontua a empresária.

Como milhares de outros empresários, a crise também impactou nos negócios. A média de vendas era de 3 a 5 mil peças por mês, porém, com a crise, houve uma queda em torno de 38%, então, mais uma vez foi preciso se ‘reinventar’. “O polimento de grande parte de nossos produtos é manual, como o mercado esta em crise, ofereci essa coleção mais sofisticada a joalherias e elas adoraram, porque os clientes misturam uma peca bem feita com joia”, comenta Karina que já atende três joalherias neste formato.

DNA
Os produtos Armazém da Prata são sinônimo de qualidade. As peças são banhadas a ouro 18 quilates e antialérgicas e podem, inclusive, ser usadas por gestantes. Hoje há um mix com mais de 2,5 mil diferentes produtos – além da campanha anual, mensalmente são lançados novos produtos. As pedras tem lapidação de joia, o que as deixa com um ar mais sofisticado, e o metal usado nas peças foi projetado para durar uma vida toda, e após um ou dois anos, toda linha, exceto as franjas, pode ser rebanhada quantas vezes for necessário, o que dá à peça um aspecto de nova. Tudo isso contribui para o alto índice de fidelidade, já que 45% das clientes que adquirem uma peça compram novamente. Os valores também são acessíveis, pois a partir de R$ 30 é possível adquirir uma peça. Saiba mais acessando o site www.armazemdaprata.com.br.

CAMPANHAS
Cada campanha Armazém da Prata tem um conceito. A atual é com a apresentadora de TV, Tati Camargo, representando a mulher chique e urbana. As pedras e modelos dessa campanha são as principais tendências do ano de 2017, que tem a cor verde como inspiração, seguindo a tendência dos principais desfiles de moda ao redor do mundo.

O Portal Mais Indaiá é uma mídia totalmente virtual, no ar desde 2007 traz as melhores noticias e informações de Indaiatuba e cidades da região.

Copyright © 2016 - Loggar Entretenimento - Portal Mais Indaiá

To Top